Como fazer metas de ano novo que funcionam

4

Já fez suas metas de ano novo? Desistiu porque no final não consegue cumprir nenhuma? Pois é, realmente não é fácil manter o foco nessas horas. Por isso, separei 11 dicas, que aprendi por experiência pessoal e que talvez possam ajudar nesse desafio.

Pensar nas resoluções de ano novo pode ser um misto de prazer e frustração.

Prazer porque tem aquela esperança proporcionada pela virada do ano, mas também é frustrante olhar para a lista anterior e perceber que muitos dos objetivos – ou quase nenhum – foram alcançados.

Isso é frequente com resoluções que estão mais para uma listinha de aspirações do que realmente objetivos, como era meu caso. Chegou um momento que joguei tudo para o alto “afinal é só uma palhaçada de ano novo, típica de gente positiva”. Nada a ver comigo.

Só que o tempo foi passando e comecei a ficar ainda mais desnorteada sem essa listinha mágica, que no final das contas ajuda a manter o foco e organizar o ano.

Viver sem propósito não é legal

A falta de propósito acaba desperdiçando nosso potencial e causa aquele famoso vazio existencial, que talvez seja apenas resolvido com sessões de terapia ou uma sacudida da vida.

E vou contar um segredo: é muito fácil ficarmos sem propósito, ou melhor, termos dificuldade em reconhecê-lo, principalmente quando já estamos deprimidos com os golpes baixos da vida.

O que percebi é que metas de ano novo ajudam a organizar a mente, criando uma espécie de mapa para entendemos melhor o que precisamos para alcançar nossos objetivos e também descobrir em qual estágio de desenvolvimento nós estamos. Isso mesmo, rola uma espécie de exercício de autoconhecimento nos bastidores, que pode até dizer o quão motivado somos para executar ações que são de nosso interesse.

Mas é muito fácil nos sabotarmos e, ao longo do tempo, percebi algumas coisinhas que poderiam ajudar nesse processo. São alguns pontos que elenquei tendo em vista experiências pessoais. Assim, não é uma metodologia de organização, mas dicas práticas e sem complicação. Conselho de amiga mesmo.

11 coisas que você precisa levar em conta na hora de fazer suas Metas de Ano Novo:

1. Ser sincero com você

Antes de registrar no papel faça algumas perguntas: É algo prioritário para meu ano? Tenho meios para conseguir colocar em prática ou estou apenas sonhando? O importante é tentar elencar metas próximas da realidade e ao mesmo tempo não se sabotar, subestimando ou superestimando sua capacidade.

2. Equilibrar razão e emoção

Sonhar é necessário, mas também é preciso aprender a trazer os pensamentos para o plano real. Tem uma frase do Walt Disney que gosto bastante, principalmente porque ele era um grande sonhador, mas também construiu um império:

“If you can dream it, you can do it.”

Na hora de criar suas metas de ano novo é preciso tirar o sorriso de Ursinho Pooh da cara e suar como Rocky Balboa.

Uma dica importante é verificar se as metas estão coerentes entre si. Por exemplo, você quer economizar para comprar um carro, mas também quer fazer um mochilão pela Europa e começar um curso de inglês. Será que tem dinheiro suficiente?

3. Colocar tudo no papel

Sério. Escrever à mão ou digitar em algum lugar faz uma grande diferença. Vira uma espécie de contrato, pois o compromisso é maior quando as ideias tomam forma.

4. Deixar em um lugar visível

Além de escrever é muito importante deixar essa lista sempre à vista para lembrar do seu compromisso. Não precisa ser colada na geladeira para todos verem – afinal muitas metas podem ser um tanto pessoais -, mas em um lugar que você está sempre mexendo. O começo da sua agenda, por exemplo, é uma boa opção.

5. Ser profissional com você mesmo

Toda empresa tem metas a curto e longo prazo. Se você tem comprometimento com as metas da sua empresa, por que não com as metas pessoais? Você merece o mesmo empenho que oferece aos outros.  

6. O que, quando e como?

Toda meta tem um objetivo, um prazo e ações para alcançá-la. Por exemplo, sua meta pode ser emagrecer 30kg até agosto, fazendo exercícios 2x por semana e reeducação alimentar. Consegue perceber como isso parece mais real do que “Esse ano quero emagrecer para o próximo verão”?

7. Compartilhar com amigos… ou não

Às vezes compartilhar suas metas com um amigo pode ajudar tanto a buscar soluções, como manter-se motivado. Se a sua meta for “guardar R$2000 para viajar em setembro”, talvez seu amigo lembre com frequência que você precisa economizar, principalmente quando quiser gastar dinheiro com coisas desnecessárias ou controlar as saídas para se divertir. No entanto, se forem objetivos muito pessoais talvez não seja muito legal contar para os outros, não é? Isso vai de cada pessoa.

8. Acreditar que você é capaz

É normal que surjam algumas barreiras mentais quando nos propomos a executar certas tarefas. Eu sempre preciso me apegar ao gráfico abaixo para lembrar, que sim eu consigo fazer as coisas se me esforçar o suficiente.

9. Listar todas as conquistas que não estavam na lista

É comum que durante o ano a gente faça muito mais coisas FODAS do que esperava ou que não estavam previstas. Por isso, é muito importante reconhecer esses momentos, registrando tudo e fazendo uma retrospectiva pessoal. Além disso é um exercício bem prazeroso.

10. Ajustar conforme os novos aprendizados

Sua lista de janeiro não precisa ser a mesma em julho ou dezembro. É importante manter o foco, mas também é preciso aceitar a vida e os desvios quando estes forem necessários. Não vai rolar comprar um carro novo porque você precisou se mudar? Tranquilo, essas são as suas metas. Lembra da primeira dica sobre ser sincero com você? Então, tente ser justo com os seus propósitos e aceite que nem tudo sairá como planejado.

11. Experimente

O que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. Formulei esses dicas ao longo do tempo com minhas próprias experiências e com algumas coisas que leio por aí. Elas me ajudam a manter o foco, mas também estão sempre mudando, pois procuro experimentar novidades e ver o que dá certo. Então, sinta-se a vontade para fazer suas próprias experiências. Você tem alguma coisa que ajude a manter o foco em suas metas? Conte aí nos comentários!

E por fim, só quero dizer que essas resoluções não precisam ser feitas só no final/começo do ano. Se você está lendo este post em julho, mas sente aquele vazio existencial, pode começar a fazer agora mesmo.

SHARE

4 comentários

  1. Olá!

    Primeiramente preciso dizer o que estou pensando desde que te vi compartilhar o link do blog pela primeira vez: eu fiquei muito feliz. Sinto saudade da blogosfera, sinto falta de ler minhas pessoas preferidas da internet (se bem que medium e newsletter estão ajudando), hoje tudo é vídeo!
    Mas sobre o assunto do post, eu tenho muita dificuldade de estabelecer metas a longo prazo. Na verdade, a minha dificuldade é acreditar nelas. Eu costumo ser bem metódica nas minhas obrigações, mas tenho uma desconfiança geral com as possíveis pedras no caminho, sabe? Aí vou vivendo um capítulo por vez, com metas a curto prazo somente. Acho que preciso lidar melhor com o ponto 10 e entender que ajustes são parte do processo e não precisam me desanimar. Talvez seja mais produtivo pensar em metas como algo dinâmico/flexível e não rígido.

    • Oi Vanessa! Fiquei muito feliz de ver você por aqui! <3 Ainda lembro da época do Caixinha de Ideias, que foi seu primeiro blog que comecei a acompanhar. E sim! O negócio é não sermos tão duros conosco e entender que a vida é sempre uma caixinha de surpresas, por isso, eu aprendi que metas são ~~líquidas~~ parodiando o Bauman. Beijos!

  2. O número 7 funciona melhor cmg qnd eu não compartilho com ngm. Alcancei algumas metas esse ano, e na verdade ainda não revelei para ninguém minhas “conquistas” hahaha

    • Oi! 😀 Sim, depende muito de cada pessoa, mas confesso que concordo que tem coisas que é melhor só contar para os outros quando já aconteceu. 😡 Vai que o lance de olho grande é real, né? Beijos, Aline!!!! E obrigada por comentar aqui no Blog!

Deixe um comentário maravilindo aqui!

Please enter your comment!
Please enter your name here