Aline Valek: quando um escritor fala por nós

0

Talvez você já tenha escutado ou lido esse nome por aí. Para os desavisados vou apresentar a moça em minhas próprias palavras: Aline Valek, escritora brasileira que conta sinceridades com humor e sensibilidade. Que conversa com o oceano agitado dentro da gente. Se fosse comida seria agridoce e eu pediria para repetir, mesmo arriscando não deixar espaço para a sobremesa.

Já segundo ela mesma:  Aline Valek é escritora e ilustradora. Nasceu em Minas em 1986, cresceu nos arredores de Brasília e desde 2013 vive em São Paulo.  Escreve contos, já publicados em coletâneas e revistas, como a Superinteressante.  Seu primeiro romance, As águas-vivas não sabem de si, foi publicado pela Fantástica, selo da Editora Rocco. É criadora da zine mensal Bobagens Imperdíveis, e com frequência empreende projetos de publicação independente.

Conheci Aline na internet, mas não lembro exatamente onde ou quando. Talvez via alguma treta feminista no Twitter, tenho quase certeza. Parece que ela sempre esteve por perto.

O que sei é que dei follow, li blog, assinei newsletter, mergulhei nos livros/contos, assinei fanzine e agora estou aqui espalhando a palavra. Aline também é a capa deste post, obviamente. Carequinha charmosa ornada por um par de óculos e um sorriso de quem não deixou a criança interior morrer. Coisa de gente que cria e inspira.

Sobre a escrita e além

Uma das características que mais chamam atenção em seu trabalho é a mistura de formatos. Aline, além de escrever também é ilustradora. Sua zine, Bobagens Imperdíveis, é um experimento para seus muitos talentos. Gosto dessa versatilidade de quem não tem medo de testar e se desafiar – ou se tem medo, vai com medo mesmo e ainda transforma isso em conteúdo.

Ela também tem seus R$0,2o feministas, que estão presentes em grande parte de seu trabalho, sempre de forma autêntica, reflexiva e sincera. Outra faceta, que me aproxima ainda mais, são seus gostos pela ficção científica e que, entre muitos trabalhos, rendeu um dos meus textos favoritos “O Deus dos Namundos” (Bobagens Imperdíveis, nº2), um conto curtinho sobre seres que vivem pregados ao chão e precisam lidar com esse jeito de existir.

Aline fala sobre muitas coisas. Fala sobre ficção e realidade, sobre ser mulher, sobre dilemas e vulnerabilidades, que muitas vezes se aproximam das minhas. Nessas horas eu abraço fortemente essa mulher e agradeço por compartilhar suas inseguranças, transformando-as em arte e espalhando por aí.

Além da escrita, das ilustrações e afins, Aline também está muito presente nas mídias sociais, compartilhando ideias, vendendo seu peixe – ou seria águas-vivas? – e sendo uma pessoa de verdade. Para encontrá-la é só ir até o final do post e clicar nos links. Mas calma aí, pois antes precisamos falar sobre alguma de suas criaturas.

Bobagens Imperdíveis

Outro grande talento da Aline é fazer gifs. Esse aqui ela fez com as edições do Bobagens.

O que hoje é uma fanzine impressa e enviada mensalmente para nossas residências, antes era uma newsletter digital, que falava sobre vários assuntos. Hoje ainda fala sobre vários assuntos, mas possibilita o prazer analógico de sentir as páginas, acompanhadas por ilustrações e adesivos. Você pode assinar pelo Apoia-se, investindo apenas R$10, que incentivam a autora e pagam os boletinhos. Nele há contos, tirinhas e textos reflexivos sobre a vida, o universo, rotinas criativas e tudo mais. As edições anteriores podem ser encomendadas na Loxinha da Valek, acompanhadas ou não por algumas ilustrações.

Newsletter

Se você quer experimentar a autora antes de um encontro pessoal, basta se inscrever para receber textos, indicações e gifs na comodidade do seu e-mail ou ler as edições antigas aqui.

As Águas Vivas Não Sabem de Si

Imagem de divulgação site da editora Rocco.

Esse é o seu primeiro título lançado por uma grande editora, o selo Fastástica da Rocco. Neste romance, Aline usa a voz do oceano e dos animais que nele habitam para narrar a história da mergulhadora Corina, que parte para uma missão a 3 mil metros de profundidade para desafiar suas dores físicas e emocionais. É um texto que flui como água, com personagens bem desenvolvidos e boas escolhas criativas, algumas vezes tristes, porém não decepcionantes. Afinal, essa é a vida. Li esse livro no começo de 2016 e deixou fortes impressões em mim, por isso sempre gosto de indicar aos desavisados – como você que está lendo este post.

Por que você precisa ler

Escrevi esse post, pois acredito que existem autores do circuito alternativo que têm muito a oferecer ao mundo. Aline para mim é uma escritora de peso, que inspira por sua autenticidade ao narrar vulnerabilidades, assuntos importantes e atuais, mas que ao mesmo tempo surpreende por ser divertida e multifacetada. Recomendo que você acompanhe a autora e abrace suas criações. Ela merece e você também. <3 

Onde encontrar a autora

Você também acompanha o trabalho da Aline? Expresse seu amor nos comentários!

Deixe um comentário maravilindo aqui!

Please enter your comment!
Please enter your name here